O amor que há entre o Mestre e seus discípulos

Recentemente estive revisando um livro de Sri Chinmoy para publicação, chamado Amor. Nos últimos capítulos, perguntas e respostas sobre o amor entre um Mestre espiritual e os seus discípulos. Como, quando tudo o mais tomba e é comido pelas traças, o amor verdadeiro, que atravessa séculos e vidas, mantêm sua expressão carinhosa e é novamente visível assim que a poeira baixa. Como, quando tudo e todos o deixam, o amor do Mestre resta como a única certeza na sua vida. O poema de Sri Chinmoy é o prólogo para este artigo:

A vida dele é cheia de barulho,
A vida dele é cheia de correria,
A vida dele é cheia de pressa.
Ele é uma imagem da insinceridade,
Ele é uma imagem da ingratidão,
Ele é uma imagem do fracasso.
Ele falha em silenciar a tempestade de sua carne,
Ele falha em sair do abismo de sua dúvida,
Ele falha em sepultar o caixão do seu medo.
Ainda assim
Ele será salvo,
Ele será libertado,
Ele será completo.
Pois
Ele ouviu os passos de seu Mestre.
-Sri Chinmoy

 

Qual é a natureza do amor entre um professor espiritual e seu aluno?
Deixe-me contar uma história real. Um Professor espiritual indiano que vivia no Ocidente foi, um dia, ao hospital para visitar um aluno que havia sofrido um sério acidente de carro. Embora o aluno estivesse sentindo muita dor e se movesse com dificuldade, ele estava cheio de alegria em ver seu Professor. Ele disse, “Eu sinto que fui ajudado consideravelmente desde o meu acidente pelo seu poder de cura espiritual. Sinto que esse acidente valeu todo momento de dor pela experiência que isso me trouxe. Pela primeira vez em minha vida, eu realmente senti e percebi quanto amor você tem por mim. Eu vi que o amor que você tem é infinito e tudo-abrangente.”
“Isso é absolutamente verdade, meu filho,” disse o Professor. “Eu estou sempre dizendo a você e aos outros alunos que eu os amo infinitamente mais do que vocês amam a si mesmos. Sua mente pode não acreditar nisso, mas é verdade.”
O aluno perguntou, “Como é possível para você nos amar mais do que nós mesmos?”
O Professor respondeu, “Quando você pensa em si mesmo, pensa em todas as suas ansiedades e preocupações. Pensa que sua vida consiste daquilo que tem de fazer – com quem tem de falar, o que tem visto e assim por diante. Mas, aos Olhos do Supremo, isso não é, de forma alguma, a sua vida. Sua vida é a sua receptividade – quanto de Seu Amor, Paz e Deleite você é capaz de receber.
“Um dos meus alunos me disse outro dia: ‘Eu posso acreditar que você me ama e eu amo você, mas quando você diz que nos ama mais do que amamos a nós mesmos, isso não é apenas uma forma gentil de falar conosco?’ Poucos dias depois, o aluno teve um sonho onde, com tudo o que aconteceu na vida dele, com tudo que ele fez e conquistou, ele construiu uma casa. Mas gradualmente essa casa começou a desmoronar; ele perdeu tudo e viu o quanto todos esses episódios eram insignificantes. Ele se sentiu totalmente perdido. Então ele me viu lá, constante, com o meu amor por ele. Somente quando se tornou totalmente um comigo, e eu me tornei totalmente um com ele, é que ele sentiu qualquer alegria, paz e satisfação.
“Todo mundo sente que sua vida é feita desses episódios – a rotina diária de cada um – mas eu gostaria de dizer que essas coisas são meramente experiências nós temos enquanto vivemos na Terra. Para viver em Deus, algo mais é necessário. Para viver em Deus, devemos saber quanto Amor podemos receber, quanta Luz podemos receber do Supremo.”
“Mas,” disse o aluno, “Eu ainda não entendo exatamente por que você pode me amar mais do que eu amo a mim mesmo. Sinto muito. Sei que você o faz, mas não estou certo exatamente de como.”
“Meu filho, a razão é esta. Você vê a si mesmo como um ser humano, cheio de ignorância. Então, quando pensa sobre si mesmo, pensa na sua ignorância. Você não vê a si mesmo como um outro Deus; vê a si mesmo como metade animal. Quando você é insincero, você pensa que sabe todas as coisas e, quando tenta ser sincero, pensa que está cheio de ignorância. Mas você deve saber que aquilo que Deus é você também é. Somente quando você está com a sua consciência absolutamente no nível mais elevado você pensa em si mesmo como um instrumento escolhido por Deus. Você está ansiando agora por esse conhecimento de quem você verdadeiramente é. Eu o amo constantemente e infinitamente porque eu sempre sei quem você é. Eu sei que não é somente um instrumento escolhido do Supremo, mas o próprio Supremo. Há momentos, quando estou olhando para você e para os outros alunos, em que não estou vendo o Supremo em vocês; Estou vendo o próprio Supremo. Você não irá acreditar nisso, mas eu não o vejo como um ser humano com o Supremo dentro, mas como ninguém mais senão o Supremo. Eu vejo isso com meus olhos humanos, sem nem mesmo usar meu terceiro olho.
“Eu amo o Supremo, que é a sua verdadeira realidade, infinitamente mais do que você pode amar o ser humano que se considera ser. Então, se eu vejo você como o Supremo, como eu poderia não amá-lo como o Supremo? Você pode pensar que é seus problemas, que é os detalhes da sua vida e portanto não pode amar a si mesmo o mais devotadamente. Você será capaz de amar a si mesmo somente quando estiver no seu mais elevado, quando sentir minha presença dentro do seu coração. Mas eu estou amando você constantemente. Aqui está a prova. A maior parte do tempo você está pensando sobre outra coisa – seu trabalho, sua esposa, seus filhos – mas eu estou constantemente pensando em você. Você pensa que está amando a si mesmo – sua família e tudo que constitui a sua vida – mas sua atenção está dividida. Sempre está pensando sobre outras coisas. Mas minha atenção nunca está dividida. Isso é amor constante por você.”
Nessa hora, o aluno já havia esquecido completamente da sua dor. Ele perguntou: “O segredo de estar consciente desse amor está na gratidão?”
“Sim, absolutamente. Mas o lamentável é que nossa mente humana sente que gratidão é algo inferior. Nós sentimos que quando oferecemos gratidão a Deus porque Ele nos ofereceu algo primeiro, estamos fazendo algo inferior. Se alguém fizer algo por nós, naturalmente mostraremos nossa gratidão, mas sentimos que o poder da gratidão é inferior ao poder de dar.
“Mas Deus vê Ele mesmo como um. Ele sente que está dando o que Ele tem – Amor e Compaixão – e estamos dando a Ele o que nós temos – gratidão. Nosso poder de gratidão é tão forte quanto Sua Luz e Poder-Amor, mas sentimos que a gratidão é inferior porque Ele ofereceu a Sua Luz e Amor primeiro. No começo do Jogo, Ele nos deu o que Ele quis dar, que é a gratidão, e guardou Consigo Sua Luz. O papel Dele é nos oferecer Luz, e nosso papel é oferecer a Ele gratidão. Ele está fazendo o Seu papel, mas não estamos fazendo o nosso. Agora, se retornarmos a Ele o que Ele nos deu, estaremos cumprindo o nosso papel, e se Ele oferece a nós o que Ele guardou Consigo, estará fazendo o papel Dele. Nosso papel não é de nenhum modo inferior ao Seu papel. Quando você sente gratidão, sente que uma flor – um lótus ou uma rosa – está florescendo dentro de você, pétala por pétala, e quando você sente tremenda gratidão, então sente que a flor está totalmente florescida.
O aluno disse, “Ó Mestre, estou profundamente grato por essa experiência, por eu ter aprendido e recebido tanto de você com isso. Eu sei agora que seu poder-amor é a única coisa na Terra que pode me satisfazer totalmente e oro para que um dia minha flor-gratidão satisfaça você totalmente.”

Eu estou preparado
Para vir ao mundo
De por vezes e mais vezes
Somente para Vislumbrar Seu Amor
Imensurável.

Eu quero me sentir mais próximo do meu Professor espiritual, que vive em outro país. O que você aconselha?
Você precisa acreditar que seu Professor espiritual ama você infinitamente mais do que você ama a si mesmo. Você pensa que está constantemente pensando sobre si mesmo e tendo cuidado com sua vida, enquanto que seu Professor espiritual está conversando com alguém aqui e ali. Então como ele pode amar você mais do que você mesmo?
Se você sente que tem mais carinho, cuidado e amor por si mesmo do que seu Professor tem por você, então não pode se tornar interior e verdadeiramente próximo dele. Se seu Professor espiritual pergunta a você todos os dias se você teve ou não um bom café da manhã, isso não é uma manifestação do seu cuidado. A maneira de seu Professor amar você, a maneira verdadeira de amar você, é infinitamente mais significante do que isso. Sua capacidade de amar a si mesmo é como um dólar; já a capacidade dele de amar você é como um milhão de dólares.
O sentimento de que seu Professor espiritual o ama tem de ser trazido do seu coração para dentro da sua hesitante e duvidosa mente. Enquanto sentir o amor dele, estará destinado a fazer um tremendo progresso e eventualmente convencer sua mente de que ele o ama. E como pode sentir o amor dele? Através das suas próprias orações e meditações.

…Pense nele como um amigo para a vida toda, que está sempre ao seu lado, se você está ao sol ou na chuva. Seu Professor espiritual é seu eterno amigo.

Perguntas sobre meditação 27: meditando antes de comer

Perguntas sobre meditação 27: meditando antes de comer

Pergunta:Por que devemos meditar em nossa comida antes de comê-la?

 

Sri Chinmoy: Antes de comer, é obrigatório meditar. Antes de fazer qualquer coisa, é recomendável para uma pessoa espiritual, meditar, pensar no Piloto Interior, o Supremo. O Supremo vem antes de tudo que façamos, Ele está no meio de tudo que fazemos, e Ele está no fim de tudo que fizemos. Se nós Se nós meditarmos antes de comer, Sua Compaixão desce até nós, e Sua Compaixão não é pequena em poder de energia. Logo, acompanhando a comida material, nós podemos receber poder de energia, então naturalmente, nós teremos benefício duplo da comida.

Secrets of the Inner World, p. 46-47

 

 

Pergunta:O que quer dizer “Annam Brahma”…Comida é Deus?

 

Sri Chinmoy: Comida é vida e vida é Deus. Deus é vida. A comida nos dá nova vida; ela nos energiza. Tudo que nos energiza é vida. A corrente da vida – e vida é Deus.

Secrets of the Inner World, p.44

 

Pergunta:Como podemos sempre sentir que comida é Deus?

 

Sri Chinmoy: Quando você reza e medita, você está compelido a sentir que está devorando a Paz, Amor e Luz de Deus. Então, quando você está comendo comida material, se você sentir que esta comida está mantendo você vivo ecom boa saúde, o que o habilita para rezar e meditar, naturalmente você pode manter ambos, comida e Deus, na mente. Quando você reza, você sente que Deus está vindo a você na forma de Paz, Luz e Felicidade, o que é sua comida verdadeira. Mas, quando você está comendo comida material, você sente que Deus, na forma desta comida, está mantendo você vivo.

Nesse momento, a comida realmente o ajuda a pensar em seu Amado Supremo. Portanto, ambos, comida e Deus, podem facilmente ser vistos juntos como um.

Secrets of the Inner World, p. 44-45

 

Perguntas sobre meditação 26: tirando os calçados para meditar

Perguntas sobre meditação 26: tirando os calçados para meditar

Pergunta:Por que você pede às pessoas para deixarem os sapatos do lado de fora e não levarem para sala de meditação?

 

Sri Chinmoy: Pedimos às pessoas para deixarem seus sapatos do lado de fora e não levarem para sala de meditação porque viemos aqui para aspirar. Quando viemos aspirar, temos que fazer com que nossa consciência física, nosso corpo físico, também aspire.

Com os sapatos, andamos o dia inteiro em ruas sujas, além disso, se entramos na sala de meditação calçados e tentamos meditar, todas as impurezas das ruas, entrarão na consciência da sala, em nossa consciência e na consciência de todas as pessoas que estão meditando. Naturalmente, isso nos atrapalhará. Além disso, devemos tomar nossa sala de meditação como um Santuário, um lugar sagrado. Lá vamos para comunhão com Deus.

Quando entramos em uma igreja, por respeito, tiramos os chapéus.

Da mesma forma, antes de entrarmos na sala de meditação, por respeito, tiramos os sapatos.

SriChinmoy Primer, p. 113-114

 

Perguntas sobre meditação 25: exercícios físicos e meditação

Perguntas sobre meditação 25: exercícios físicos e meditação

 

Pergunta:Porque você incentiva seus alunos a participarem e organizarem eventos de competição como triatlon e corridas de longas distâncias?

 

Sri Chinmoy: Eu incentivo e encorajo meus alunos a participarem e organizarem triatlons, corridas de longas distâncias como também curtas distâncias, precisamente porque sinto que o mundo precisa de dinamismo.

O mundo exterior precisa de dinamismo e o mundo interior precisa de paz. Somos todos buscadores; meditamos e rezamos para alcançarmos paz. Sentimos que se podemos ser dinâmicos, estaremos aptos a realizar muito em nossa vida exterior.

Para sermos dinâmicos, precisamos ter forma física a todo momento, e correr nos ajuda consideravelmente a manter uma boa forma. Também, o correr nos lembra de nossa jornada eterna na qual caminhamos. Marchamos e corremos ao longo da Estrada da Eternidade para nossa meta eterna.

The outer running and the Inner running, p-140-141.

 

 

Pergunta:Qual é o propósito espiritual dos esportes competitivos?

 

Sri Chinmoy: O nosso objetivo não é nos tornarmos os melhores atletas do mundo. O nosso objetivo é manter o corpo preparado, para desenvolver dinamismo e dar ao vital alegria inocente. O nosso objetivo não deve ser ultrapassar os outrosmas, constantemente ultrapassar as nossas próprias conquistas anteriores. Não podemos avaliar corretamente a nossa própria capacidade ao menos se tivermos uma tabela de comparação assim, não competimos para vencer os outros, mas para buscar nossa capacidade. A nossa melhor capacidade aparece quando há pessoas ao nosso redor.

Elas nos inspiram a buscarmos nossa maior capacidade e nós as inspiramos a buscar suas maiores capacidades. Por isso que temos esportes competitivos.

Sempre deve ter um objetivo.Ao se ter um objetivo não significa que temos que vencer os melhores corredores do mundo, longe disto.

Na vida espiritual, não há competição. Mas tem algo que é essencial, necessário e inevitável, que chamamos de progresso; queremos nos transcender. Se há outra pessoa conosco, imediatamente nossa mente ou a mente dos outros irão pensar que estamos competindo.

Na vida comum, competimos com os outros para alcançarmos supremacia.

Mas na vida espiritual, não estamos em competição com outros. Estamos apenas tentando transcender nossa própria capacidade.

Podemos pensar em nós como duas metades: imperfeição em uma das metades, e nosso sincero clamor por perfeição está na outra metade. Em um lado está a fraqueza e do outro está a força. Com nosso clamor interior pela perfeição, corremos em direção ao nosso destino e alcançamos a margem-iluminação. Quando nosso ser está completamente iluminado, o escuro e as forças da ignorância ficam com medo de vir até nós. Antes de abraçarmos o destino, elas nos desafiam. Mas uma vez que alcançamos a margem-iluminação, as forças da ignorância não ousam entrar em nós, pois sentem que serão totalmente destruídas. Elas não sabem que serão apenas transformadas e iluminadas.

The outer running and the Inner running, p-141-142.

 

 

Pergunta:Qual a importância para um aspirante espiritual se manter em boa forma física?

 

Sri Chinmoy: Boa forma física é de grande importância em nossas vidas. Se o corpo estiver em boas condições, poderemos realizar todas as nossas atividades bem. Por isto é importante, correr ou fazer exercícios físicos todos os dias para nos tornarmos fortes, saudáveis e dinâmicos. Se estivermos com boa forma física, estaremos aptos a não permitir que doenças e outros indivíduos não convidados entrem em nós.

No passado, as pessoas gostavam da malhação do corpo pois elas sabiam que se elas tivessem um corpo saudável, elas poderiam permanecer por mais tempo na terra. Se elas fossem espirituais, sentiam que em um corpo saudável permitiriam a elas continuar rezando e meditando por muito mais anos.

Hoje sabemos também que se o corpo estiver doente, não poderemos rezar e meditar bem. Por algumas semanas e meses. Podemos sofrer tanto física como mentalmente. Temos um corpo e uma alma. Uma pessoa espiritual tem que dar importância igual ao corpo e a alma. Se prestar atenção somente ao corpo. Se tornar fisicamente forte, mas espiritualmente fraco, não haverá paz na mente ou na felicidade interior. Normalmente, se prestar atenção apenas nas orações e meditações e negligenciar o corpo, este não será um instrumento afinado para revelar e manifestar Deus.

De manhã, Ele tentará rezar para Deus, mas terá que parar, pois tem uma dor de cabeça, estômago, revoltado e etc.

Se alguém não pratica nenhum exercício mesmo, o físico irá permanecer sem luz, letárgico e verdadeiro obstáculo para o aspirante.

Se a consciência física não aspira, ela se manterá separada da alma. Tenha certeza, então, que você nunca alcançará a perfeição. O físico deve aspirar em sua própria maneira para aumentar sua capacidade para abarcar a luz. O físico contribuirá com o espiritual e estará apto a aspirar e manifestar muito mais. Boa forma física e espiritualidade devem caminhar juntas. É como se ter duas pernas. Com uma perna eu não posso andar; preciso das duas pernas para alcançar o destino.

The outer running and the Inner running, p-142-144.

 

O seu correr exterior tem um papel muito importante não só na sua vida espiritual como também na comunidade mundial. Se as pessoas que aceitaram a vida espiritual não fazem a coisa certa, como é que podemos esperar dos outros que não são conscientes de sua existência interior, fazerem a coisa certa? E ficarei muito feliz e orgulhoso se você puder correr uma maratona.

Esta é a idade de ouro para vocês.

Vocês estão todos com menos de 40 anos. Quando tiverem mais de 50 anos, não importa quanto tentarem, vocês não conseguirão trazer para fora uma determinação física e vital que vocês têm agora. Haverá uma ou duas exceções, mas 99 em 100 pessoas acharão difícil depois dos 45 anos.

Se quiser satisfazer sua Divindade, por favor, por favor, corra regularmente.

Talk at Progress-Promise on the eve of the New York Marathon, 1985.

Perguntas sobre meditação 24 – canções espirituais

Perguntas sobre meditação 24 – canções espirituais

A música, como canções plenas de alma, está bem próxima da verdadeira espiritualidade, logo depois vem a poesia. A poesia também está bem próxima da espiritualidade. Mas, quando se trata de colocar ordem, primeiramente vem a musica, cantada ou tocada e depois a poesia. Se cantarmos canções plenas de alma -não rock n’ roll e etc…- estaremos aumentando nossa aspiração. Não podemos meditar vinte e quatro horas por dia, nem mesmo dezesseis ou oito horas. É impossível para meros seres humanos como nós. Mas se nos é pedido para cantar, mesmo se formos péssimos cantores, sem dificuldades podemos cantarpor três ou quatro horas por dia. Mesmo se não tiver nenhum talento para música se puder usar quinze ou dez minutos ou até mesmo cinco minutos por dia para aprender minhas canções, o ajudará muito em sua vida espiritual.

Mas se não tiver nenhum jeito mesmo para música, você pode utilizar seu tempo para meditação ou serviço.

Existem pessoas que não podem cantar, mas Deus, o Supremo, utiliza essas pessoas de outras maneiras, dessa forma, essas pessoas não precisam se preocupar.

Mas se tiver um pouquinho de talento, eu ficaria muito feliz se pudesse praticar e exercitar seu talento aprendendo algumas de minhas canções. Se puderes cantar uma canção com toda sua alma todos os dias,isto te ajudará definitivamente em sua vida espiritual. Sempre eu os pedirei para cantar. Fico muito feliz em ouvir minhas canções. É como uma riqueza perdida ou esquecida que volta para mim.

Dependence and Assurance p.48-49

 

Pergunta:Por que, Guru, suas canções sempre nos dão maravilhosos resultados?

Sri Chinmoy: Minhas canções dão resultados maravilhosos porque são minhas experiências interiores. A maioria das experiências que recebo das pessoas. Minhas experiências interioresque recebo de vocês – de suas elevações, de seus sofrimentos e alegrias.

Suas próprias experiências que trago para fora e uso para a humanidade. Elas são algo de vocês que secretamente eu furto.

Dos seus próprios modos, vocês não sabem como expressá-las, mas eu sei como. Por isso, quando recebe ou canta minhas canções, seu ser interior o faz sentir algo muito pessoal, apesar de seu ser exterior não estar ciente disto. Quando alguém lhe mostra ou diz algo sobre o que é seu, você fica extremamente feliz. Sua mente exterior não está ciente disto, mas seu ser interior está completamente ciente disto.

Father’s Day:Father with His European Children, p. 6-7

 

 

Pergunta:Como devemos ouvir seus discos?

 

Sri Chinmoy: Vocês devem ouvi-los plenos de alma. Terá o mesmo propósito da meditação, se ouvirem desta maneira. Ajudará muito em sua meditação ou aspiração.

Como o nosso Invocation ajuda, estes discos também ajudarão.

Great Masters and The Cosmic Gods, p.9