Perguntas sobre meditação 24 – canções espirituais

Perguntas sobre meditação 24 – canções espirituais

A música, como canções plenas de alma, está bem próxima da verdadeira espiritualidade, logo depois vem a poesia. A poesia também está bem próxima da espiritualidade. Mas, quando se trata de colocar ordem, primeiramente vem a musica, cantada ou tocada e depois a poesia. Se cantarmos canções plenas de alma -não rock n’ roll e etc…- estaremos aumentando nossa aspiração. Não podemos meditar vinte e quatro horas por dia, nem mesmo dezesseis ou oito horas. É impossível para meros seres humanos como nós. Mas se nos é pedido para cantar, mesmo se formos péssimos cantores, sem dificuldades podemos cantarpor três ou quatro horas por dia. Mesmo se não tiver nenhum talento para música se puder usar quinze ou dez minutos ou até mesmo cinco minutos por dia para aprender minhas canções, o ajudará muito em sua vida espiritual.

Mas se não tiver nenhum jeito mesmo para música, você pode utilizar seu tempo para meditação ou serviço.

Existem pessoas que não podem cantar, mas Deus, o Supremo, utiliza essas pessoas de outras maneiras, dessa forma, essas pessoas não precisam se preocupar.

Mas se tiver um pouquinho de talento, eu ficaria muito feliz se pudesse praticar e exercitar seu talento aprendendo algumas de minhas canções. Se puderes cantar uma canção com toda sua alma todos os dias,isto te ajudará definitivamente em sua vida espiritual. Sempre eu os pedirei para cantar. Fico muito feliz em ouvir minhas canções. É como uma riqueza perdida ou esquecida que volta para mim.

Dependence and Assurance p.48-49

 

Pergunta:Por que, Guru, suas canções sempre nos dão maravilhosos resultados?

Sri Chinmoy: Minhas canções dão resultados maravilhosos porque são minhas experiências interiores. A maioria das experiências que recebo das pessoas. Minhas experiências interioresque recebo de vocês – de suas elevações, de seus sofrimentos e alegrias.

Suas próprias experiências que trago para fora e uso para a humanidade. Elas são algo de vocês que secretamente eu furto.

Dos seus próprios modos, vocês não sabem como expressá-las, mas eu sei como. Por isso, quando recebe ou canta minhas canções, seu ser interior o faz sentir algo muito pessoal, apesar de seu ser exterior não estar ciente disto. Quando alguém lhe mostra ou diz algo sobre o que é seu, você fica extremamente feliz. Sua mente exterior não está ciente disto, mas seu ser interior está completamente ciente disto.

Father’s Day:Father with His European Children, p. 6-7

 

 

Pergunta:Como devemos ouvir seus discos?

 

Sri Chinmoy: Vocês devem ouvi-los plenos de alma. Terá o mesmo propósito da meditação, se ouvirem desta maneira. Ajudará muito em sua meditação ou aspiração.

Como o nosso Invocation ajuda, estes discos também ajudarão.

Great Masters and The Cosmic Gods, p.9

 

Perguntas sobre meditação 23 – entoando o mantra “Supreme”

Perguntas sobre meditação 23 – entoando o mantra “Supreme”

 

Sempre digo aos meus discípulos para começarem suas meditações repetindo o mantra “Supreme” algumas vezes. O Supremo é “nosso guru eterno”: meu guru, o seu guru, e o guru de todos. Eu represento o Supremo apenas para os meus discípulos, que sabem que posso ajudá-los. Existem outros Mestres que representam o Supremo para seus discípulos. Pense no Supremo e repita a palavra “Supreme” algumas vezes cedo pela manhã.

Se puder cantar AUM com toda sua alma, também o ajudará bastante em sua meditação.

 

 

Pergunta:Como devemos entoar “Supreme” em grupo?

 

Sri Chinmoy: Por favor, imagine que você está em uma viagem.

Sinta-se como se estivesse num barco ou em outro lugar com outros peregrinos. Sempre sinta um movimento ao entoar. Não importa se for para cima, para baixo ou para dentro. Quando disser “Supreme” por favor, sinta que você está alcançando algum destino. Cada vez que entoar, sinta que você está transcendendo sua meta.

Palmistry, Reincarnation and the Dream State, p.15-16

 

Perguntas sobre meditação 22 – livros de Mestres espirituais

Perguntas sobre meditação 22 – livros de Mestres espirituais

Se seu Mestre tivesse escrito somente um livro, ou mesmo se ele não tivesse escrito nenhum livro, há um livro em seus dizeres, e este livro é mais que suficiente para todos os discípulos que seguem seu caminho. Se você disser, “Eu já li todos os escritos de meu Mestre“, então você deve saber que lê-los só uma vez, não é suficiente. Você tem que ler e reler todos eles. Mas um livro pode dar a você mais inspiração que os demais. Logo, este livro em particular, você deve ler todo dia. Alguns discípulos lêem um livro uma vez e dizem,“Eu li este”. Se você ler com sua mente apenas, até mesmo se você ler a mesma linha hoje e amanhã, você não pode ter nenhuma inspiração. Mas se você ler com seu coração, de cada palavra você tirará aspiração ilimitada. Cada dia você verá nova luz nos escritos de seu Mestre. De cada palavra você terá uma nova luz. Na Índia, alguns buscadores selecionam um livro espiritual e o lêem várias vezes. Há setecentos versículos no evangelho indiano, o Bhagavad Gita. Leva-se três ou três horas e meia para o ler e há algumas pessoas que o lêem todo dia. Alguns buscadores não lêem nenhum livro. Eles lêem este livro repetidamente com o objetivo de serem purificados. E todo dia eles tiram nova inspiração, nova aspiração deste livro. Todos os dias você também pode ter uma nova revelação. O que é revelação? É o fruto de sua aspiração.

Logo, se vocês lerem os escritos de seu Mestre, não como lêem um jornal, mas com sentimento, “Hoje eu irei ter uma nova revelação”, então vocês são compelidos a tê-la.

Aspiration-Flames, p.47-48

 

 

Eu disse muitas, muitas vezes, para vocês lerem meus escritos. Isto é minha prece para vocês. Se vocês já compraram livros, por favor, leiam. Se vocês já leram os livros, então por favor, comprem um novo toda semana e leiam pelo menos cem páginas por semana.

Se vocês têm livros novos, vocês terão nova inspiração. E se vocês puderem ler livros velhos com um coração devotado, então cada um deles pode supri-los com nova inspiração. Se vocês lerem dez vezes seu livro favorito, cada vez terão nova inspiração.

ChinmoyFamily, Fev-Mar 1977 p.6

 

 

Pergunta:Seus escritos contêm uma força especial?

 

Sri Chinmoy: Meus escritos não são pensamentos emprestados, mas a expressão de minha própria experiência. Alguns filósofos, professores e estudantes pegam idéias de outros; as idéias sobre as quais escrevem, não vêm de sua própria realização.

No meu caso, minha gramática pode estar absolutamente errada, mas a consciência que eu revelo é uma consciência divina. Logo, mesmo se eu disser, “Eu vamos”, não há problema. Mas quando eu digo “Eu”, isto contém uma grande força espiritual e poder espiritual. Isto é assim não somente quando eu digo, mas quando todo Mestre espiritual diz.

No meu caso, como eu tenho escrito consideravelmente, eu digo a meus discípulos para lerem meus escritos primeiro. Veja quantos anos serão necessários para que meus escritos sejam lidos com a alma! Você deve marcar as partes que mais se destacam para você, e então, lê-las novamente. Sinta que essas partes são como mantras que você repete muitas e muitas vezes. Se você gostar de um poema, pode lê-lo todo dia, se quiser. Mas você deve ler tudo, ao menos uma vez, para fazer uma seleção. Se você não ler tudo uma vez, como saberá de qual parte gosta mais? Para fazer uma seleção, você vai a uma loja e seleciona aquilo de que mais gosta. Mas, sem ver tudo, como poderá escolher?

Se um discípulo ler meus escritos como forma de meditar em mim e no Supremo, então ele está em minha consciência. Se ele os ler uma segunda vez, então novamente irá capturar minha consciência.

Obedience or Oneness, p.16-17

 

 

Virá um tempo na vastidão dos séculos, quando milhões e bilhões de buscadores recitarão e repetirão alguns dos poemas que vocês estão recitando aqui e alguns outros poemas que eu tenho escrito ou escreverei no decorrer dos anos. Por ser muito franco com vocês, estes não são meros poemas; são expressões mântricas de… vocês completam a sentença.

Agora eu estou falando a vocês numa consciência puramente humana, do mundo humano. Repetindo os mantras Védicos, incontáveis pessoas atingiram os mais altos reinos de consciência. Vocês não estudaram os Vedas e os Upanishads em Sânscrito e vocês não têm que estudá-los. Se vocês estudarem meus poemas com o mesmo espírito que os buscadores de outrora estudaram e recitaram os Vedas e os Upanishads, aí você está compelido a ser libertado.

De minha profética visão da alma, de minha visão inconfundível e inabalável da alma eu lhes falo: Muitos,muitos poemas escritos por seu Guru, não apenas inspirará e iluminará, mas também libertará incontáveis buscadores na terra, da rede de ignorância. Eu estou muito feliz, muito orgulhoso que enquanto eu esteja aqui na terra, algumas de minhas crianças estão recitando e meditando nestes poemas, tão plenos de alma.

Meditação é de suprema, suprema importância. Mas quando estiverem cansados de meditação, estes poemas, que são chamados mantras, estão aptos a inundar todo seu ser com Paz, Luz e Deleite…

Quatrocentos livros estão vendo a luz do dia. Agora, nós encontramos trezentos e noventa e nove e na próxima semana, serão quatrocentos. Fora quatrocentos livros, haverá ao menos quarenta ou, digo, dez livros, ou sete livros -ao menos sete livros – que estarão aptos a alimentá-los sem reservas e incondicionalmente, todo o tempo. E vocês podem também ser uns leitores divinamente vorazes.

Uma conversa após discípulos recitarem poemas do Ten Thousand Flower-Flames, 8 Dez. 1979

 

 

O humano em mim escreverá muito mais poemas. Pode acontecer que o humano em mim exceda o número que já oferecemos ao mundo no espaço de um dia. Mas eu desejo dizer-lhes mais uma vez como já tenho dito, que isso não é um caso de quantidade versus qualidade. O Supremo em mim ordena que eu escreva poemas, e eu lhes asseguro que Ele também me dá a capacidade de conquistar a qualidade. O Supremo em mim e o poeta em mim andam juntos. O Supremo é de imediato minha visão interior e meu julgamento exterior juntos.

Algumas pessoas que eu jamais vi, que não são meus discípulos no plano exterior, estão fazendo grande progresso-progresso mais rápido que meus discípulos de terceira ou quarta classe, a quem eu vejo freqüentemente. Esses buscadores estão obtendo muita ajuda de mim, no mundo interior. Recentemente, um livro meu, Alimento para a Alma, foi publicado. As pessoas o estão comprando e lendo e eu sou muito grato a elas. Meus escritos são minha consciência. Alta ou baixa, eles são minha consciência, e aqueles que lerem meus escritos podem entrar em minha consciência. Como estão se concentrando em importantes palavras-chave, meu ser interior vem e me diz.

Eu não sei seus nomes, mas no mundo interior eles estão obtendo ajuda abundante de mim.

Dependence and Assurance, p.27-28

 

Pergunta:O que podemos ganhar, lendo seu livro de aforismos, Alimento para a Alma?

 

Sri Chinmoy: Alimento para o corpo é necessário a todos.Todos nós sabemos o que é. Meditação é alimento para a alma. Todo dia, você pode entrar em sua mais alta consciência, se quiser, apenas meditando neste livro de aforismos. Eles são o alimento para sua alma. Leia-o e você verá que a luz está correndo em sua direção, a paz está correndo para você, a felicidade está correndo até você, a iluminação está correndo para você.

Obedience or Oneness, p.20

 

Pergunta:Antes de vir para o seu caminho, eu estava fazendo muitas leituras. Eu fui aconselhado a parar tudo, e eu fiz. Mas eu estou começando a sentir que talvez eu deva continuar.

 

Sri Chinmoy: Se você estudar meus textos, você estará tomando a minha consciência. Se você estudaroutros mestres espirituais, sem problema; não há disputa entre mim ou outros Mestres espirituais. Todos têm o direito de falar a verdade em sua própria maneira. Mas se eu disser uma coisa, e outro Mestre disser a mesma coisa de maneira diferente, você pode ficar confuso. Se quiser estar em meu barco, será melhor para você estudar meus escritos. Então depois, se você ler outros, nesse momento sua base estará forte, já que você sabe onde é a sua casa. Primeiro, você está bem estabelecido em seu lar espiritual, então você pode ir para outras casas, e ver o que elas têm. Mas eu sempre aconselho às pessoas primeiro saber onde sua própria casa é.

Perseverance and Aspiration, p.48-49

 

Eu desejo aconselhá-los a lerem livros sobre Mestres espirituais. Se vocês desejam ler sobre a espiritualidade indiana, vocês podem ler os livros que foram escritos sobre Swami Vivekananda. Outros foram escritos sobre Sri Ramana Maharshi e Sri Aurobindo. Se vocês lerem sobre a vida dos grandes Mestres, vocês estão impelidos a serem inspirados.

The Inner Hunger, p.11

 

Perguntas sobre meditação 21: como esquecer o passado

Perguntas sobre meditação 21: como esquecer o passado

Pergunta:Como posso me assegurar de estar fazendo um bom progresso se o meu passado não era nada aspirante?

Sri Chinmoy: Suponha que por dezessete anos você fumou, bebeu e usou drogas, mas hoje você não está mais fazendo essas coisas. Você viu que aquilo era ruim e então o cortou, como a parte de uma fruta que está podre. Agora a obscuridade e a impureza estão indo embora da sua consciência e novamente você está se tornando luminoso. Hoje você está clamando por perfeição.

Antes você era todo imperfeição. Agora você é cinqüenta por cento perfeito e a sua perfeição está aumentando. Agora você está obtendo sólidas experiências. Você está crescendo na luz. Então, por que se preocupar com seu passado impuro e obscuro? Pense somente no futuro. Eu sempre digo: “O passado é pó”. Não olhe para trás. Viva apenas na imediação de hoje e cresça no futuro dourado.

Inner Progress and Satisfaction-Life, p. 38

Perguntas sobre meditação 20: como manter a disciplina para meditar

Perguntas sobre meditação 20: como manter a disciplina para meditar

Pergunta:Como podemos dar o primeiro passo na direção de uma disciplina construtiva em nossa prática meditativa?

Sri Chinmoy: Vamos tomar a disciplina como um músculo. Não podemos desenvolver músculos muitíssimo poderosos da noite para o dia. Devagar e aos poucos temos de desenvolvê-los. Primeiro, você deve saber por quantos minutos consegue meditar. Se consegue meditar por cinco minutos, significa que nesses cinco minutos você está se disciplinando. De manhã cedo, enquanto seus amigos e seus parentes ainda estão no mundo do sono, se você se levanta para rezar e meditar por cinco minutos, está se disciplinando.

Como você pode aumentar a sua disciplina? O jeito mais fácil é desenvolver uma sede verdadeira, um choro interior, pelos frutos da disciplina. Você pode fazer isso vendo o que acontece quando leva uma vida disciplinada e quando não leva uma vida disciplinada. Você mesmo tem de ser o juiz. Ao se levantar às cinco ou seis horas e meditar por quinze minutos ou meia hora, você se sente extremamente bem. Você sente que o mundo inteiro é belo. Você ama a todos e todos o amam. Acriação de Deus é todo amor por você. Porque você se levantou e meditou por alguns minutos, está inundado com bons pensamentos. Cada pensamento é um mundo em si mesmo. A realidade diária que vemos à nossa volta não é o único mundo. Existem muitos mundos. Por ter se levantado e meditado, você está correndo, pulando e voando nos mundos de bons pensamentos, da beleza, da alegria, da paz e da luz.

Mas no dia em que não se levanta cedo para meditar, você odeia o mundo, odeia a si mesmo, e sente que todo o mundo o odeia. Portanto, você mesmo pode ver a diferença. Não é que você nunca tenha meditado de manhã cedo. Os resultados positivos você já teve várias, várias vezes. Muitas vezes você meditou e muitas vezes não meditou. Você sabe o resultado de cada um. Se for esperto, se for sábio, as boas coisas você vai repetir sempre e as coisas ruins você vai evitar.

Se você está achando difícil disciplinar-se para fazer alguma coisa, veja o resultado. Se você subir em uma árvore, conseguirá frutas muitíssimo deliciosas. Se não subir, não conseguirá as frutas. Você vê que, quando alguém é disciplinado, pode subir e apanhar a manga mais deliciosa e comê-la para a alegria do seu coração. Se você se disciplinar, também poderá fazer o mesmo. Desse jeito, conseguirá uma tremenda satisfação. Por pensar nessa satisfação, você pode facilmente se disciplinar. Não há outra maneira.

Você está vendo pessoas à sua volta que estão chafurdando nos prazeres da preguiça. Existem muitas no barco-preguiça. Mas você pode dizer: “Não, não quero mais ficar nesse barco. Quero ter um novo barco, o barco que navegará em direção à Margem Dourada, em direção à Meta”. Depende de você. Você pode facilmente se disciplinar a si mesmo lembrando-se da alegria que consegue quando se disciplina e da infelicidade que tem quando não age assim.

What I Need From God, p. 20-23

  

Pergunta: Como podemos achar alegria numa disciplina rígida?

Sri Chinmoy: A mente chama a isso de disciplina. O coração chama a isso de um processo pelo qual alcançamos alguma coisa ou ganhamos alguma coisa. A alma não chama a isso nem mesmo de processo. A alma sente que o que chamamos de disciplina não só incorpora a realidade-deleite, mas é a própria realidade-deleite.

Qualquer coisa que queiramos fazer é imediatamente vetada pela mente. Mesmo se esta quis alguma coisa há dois dias ou há dois anos, ela estará pronta para vetar a mesma coisa agora. Essa é a nossa mente malandra. Mesmo se ela quis alguma coisa ontem, hoje ela jogou fora a sua vontade consciente. Com o nosso coração ou com o nosso vital nós queremos algo, mas a nossa mente logo diz: “Não, não pegue isso”. Portanto, disciplina na nossa vida comum nada mais é do que punição, precisamente devido à má vontade da mente.

Aqui nos Estados Unidos vocês não sofreram de malária e eu espero que ninguém jamais venha a sofrer dessa doença. Na Índia, como sofri de malária! Uma vez, meu irmão mais velho e eu ficamos doentes no mesmo dia. Vocês não podem imaginar o quão doloroso isso é. Todos os nervos sutis e pesados começam a dançar. Que dor! Você simplesmente grita e berra. Antes dela, talvez você não saiba nenhuma acrobacia ou exercício especial, mas assim que você pega malária vira um especialista. Com os seus exercícios, você pode competir com os melhores acrobatas. A dor o obriga a isso. Numa outra hora qualquer, se você me pedisse para fazer aquele exercício, eu diria: “impossível!” Mas quando peguei malária, estava com tanta dor que poderia fazer todos os tipos de acrobacias.

O único remédio que temos contra a malária se chama quinina. É extremamente, extremamente amargo. Nenhum outro remédio é tão amargo quanto a quinina. Mas quinina é a salvação. Se não aceitamos a salvação, como vamos nos livrar da nossa febre? A ignorância nos domina. A ignorância é o nosso mestre, mas não queremos mais esse mestre. Precisamos de alguém mais forte do que o nosso mestre atual, alguém que possa derrotar o mestre atual. Queremos conhecimento para sermos nossos próprios mestres. Ele na forma de disciplina, que é como quinina. Se aceitamos essa disciplina, então podemos vencer a ignorância. Temos de saber que a disciplina é o nosso novo mestre, novo guia, novo salvador. Vamos dar o mais alto posto à disciplina.

Hoje, ao pensar em disciplina, você sente que ela nada mais é do que uma punição encarada a todo momento. Mas tente sentir que ela é a sua ajuda, a sua guia, a sua inspiração, a sua aspiração, até mesmo a sua realização. É a disciplina que pode e vencerá as forças não-divinas em você e ao seu redor. Pense na disciplina como um novo mestre que está ajudando você a aprender alguma coisa nova, significativa, plena e frutífera. Assim, você não precisa aprender mais nada do seu velho mestre. Seu velho mestre era a letargia, a escuridão, a ignorância e todas as forças negativas. Agora você tem de dar à disciplina o valor máximo. Ela é o seu novo mestre. Ela incorpora luz e está mais do que disposta a oferecer luz a você. Só assim você não ficará com medo da disciplina. Pense no que você não tem agora e que ela dará a você. Ao fazer esse tipo de comparação, você verá que está nadando no mar-ignorância e que a disciplina está lhe dizendo: “Pobre garota, por que está sofrendo? Eu tenho luz, deleite, paz e felicidade em quantidade ilimitada. Venha aqui, é tudo para você.” Então você vai lá, onde tudo é luz e deleite. E quem está lhe dando essa luz, esse deleite? A disciplina, sua guia, sua salvadora.

The Blue Light of Discipline-Waves, p.9-11