por Patanga Cordeiro

KrishnaandArjunaO Mahabharata trata-se do maior épico já escrito. Ele é 10 vezes maior que a Ilíada e Odisséia somadas.

Para estudantes da meditação, essa obra é sem preço. Na vida espiritual, temos todos os tipos de oportunidades para progresso, dificuldades que nos ensinam a ir além da nossa capacidade atual e experiências inexplicáveis para a nossa atual compreensão. No Mahabharata, essas experiências são recontadas em forma da história – em particular dos heróis Kshatriyas, os Pandavas Yuddhistira, Bhima, Arjuna, Nakula, Sahadeva e Draupadi. Krishna, um grande mestre espiritual, é o condutor interior da história, garantindo que as experiências necessárias aconteçam nas vidas dos guerreiros e que os que não andam na luz e retidão percam suas capacidades e sejam derrotados pela própria falta de integridade (como é o caso do herói Karna, que, mesmo divinamente abençoado, obteve armas para derrotar Arjuna através de mentiras e, por fim, as perdeu). Assim, podemos traçar um paralelo entre a história e a nossa própria vida, tirando imenso proveito.

Quanto mais você lê, mais conhece a personalidade íntegra e o sentimento de dever que os personagens têm. Por exemplo, o dever de um Kshatriya é lutar. Não é ganhar, mas sim lutar pela justiça. Morrer ou viver é um detalhe. O dever da mulher de um guerreiro é ter filhos que possam lutar e morrer no campo de batalha. O dever dela não é ter netinhos e cuidar de uma linda família. Para isso, há outras ocupações, como a dos fazendeiros, artífices, etc. O dever dos guerreiros é lutar pela verdade e retidão, e a morte é uma consequência provável. A satisfação do dever cumprido é inevitável. Assim, cada pessoa cumpre o seu papel na sociedade, sem olhar para o lado para ver se a grama do vizinho é mais verde. É claro que tudo isso hoje em dia tem um significado mais simbólico. (Só não se engane pensando que é TOTALMENTE simbólico – pois não é!)

Você pode encontrar a obra em diversos formatos: livro completo, livro abreviado, audiobooks ou podcasts, vídeos, etc. Há diversos filmes (Peter Brooke) e desenhos animados (vide Youtube). Eles são simplificações muito grandes da obra (que é enorme), mas tentam descrever algumas das cenas principais.

Leia um comentário de Sri Chinmoy sobre o personagem Vishma, que foi regente antes dos Pandavas e era seu tio-bisavô. E, por fim:

The Mahabharata  

  Is

The Reality’s body.

– Sri Chinmoy, The Message-Light Of The Bhagavad Gita, Agni Press, 1999

Páginas recomendadas

A Espada de Sabedoria compilação de aforismos de Sri Chinmoy   AS ESPADAS A espada de sabedoria avisa. A espada de aspiração protege. A espada da vida...
Estou procurando algo, mas não sei o quê por Patanga Cordeiro   "Dear friends, dear brothers and sisters, dear distinguished professors and deans, here we are all seekers. We are sai...
Ensinamentos dos Grandes Mestres Coração, Religião, "Guru" https://vimeo.com/127989434 traduzido por Patanga Cordeiro (...) Através dos séculos, cada Mestre espiritual d...
Travessia do Canal da Mancha e a Meditação    por Adriano Passini Descrever a travessia do Canal da Mancha é algo tão difícil quanto atravessá-lo. É algo realmente incrível, que acredito que...