Espiritualidade: O que ela é e o que ela não é

Universidade das Índias Ocidentais, Kingston, Jamaica

10 de Janeiro de 1968

 

Epilogue-sri-chinmoy-doveEspiritualidade é a liberdade ilimitada do homem em seu barco-vida: a liberdade da sua jornada-vida, estar liberto das suas dores-vida e a liberdade além das suas conquistas-vida.

 

Na espiritualidade está a mais longínqua Visão do homem. Na espiritualidade está a mais próxima realidade do homem. Deus tem Compaixão. O homem tem aspiração. Espiritualidade é a luz-consciência que une a aspiração do homem e a Compaixão de Deus. A espiritualidade diz ao homem que ele é Deus velado e que Deus é o homem revelado.

 

A espiritualidade não é uma fuga do mundo de realidade. A espiritualidade nos diz o que a verdadeira realidade é e como podemos descobri-la aqui na terra. A espiritualidade não é a negação da vida, mas sim a pura aceitação da vida. A vida deve ser aceita sem reservas. A vida deve ser realizada devotadamente. A vida deve ser transformada completamente. A vida deve ser vivida eternamente.

 

A espiritualidade não é a canção da ignorância. É a mãe da concentração, meditação e realização. A concentração me leva de forma dinâmica a Deus. A meditação silenciosamente traz Deus até mim. A realização não me leva a Deus e nem traz Deus até mim. A realização me revela que Deus é o Pássaro Azul da Realidade da Infinidade e que eu sou as Asas Douradas da Verdade da Divindade.

 

A espiritualidade me ensinou a diferença entre a minha fala e o meu silêncio, entre a minha mente e o meu coração. Na fala, procuro me tornar. No silêncio, eu sou. Quando abro a minha boca, Deus fecha o meu coração. Quando fecho a minha boca, Deus abre o meu coração. Minha mente diz: “Deus precisa de mim.” Meu coração diz: “Eu preciso de Deus.” Minha mente quer possuir a Criação de Deus enquanto a nega. Meu coração quer possuir a Criação de Deus enquanto a serve. Minha mente diz que não sabe se pensa em Deus ou nela mesma. Por vezes, a minha mente sente que, já que não pensa em Deus, também Deus não pensa nela. Meu coração vê e sente que Deus pensa nele, mesmo se ele não se dá ao trabalho de pensar em Deus.

 

A espiritualidade disse-me secretamente qual é a minha necessidade suprema e como posso alcançá-la. Qual é a minha necessidade suprema? A Bênção de Deus. Como posso tê-la? Simplesmente emprestando-a do Banco de Deus.

 

Como poderei pagar a minha dívida? É fácil! Basta emprestar novamente do Banco de Deus. Mas devo emprestar sabedoria, e nada mais. Com a sabedoria, o débito é anulado. Essa sabedoria é justamente o alento da espiritualidade.

 

Eu sou o experimento de Deus. Ele me deu o nome de Ciência. Eu sou a experiência de Deus. Ele me deu o nome de Espiritualidade. Eu sou a Realização de Deus. Ele me deu o nome Unicidade – Unicidade interior e Unicidade exterior.

 

Deus é a minha Realidade.

O Céu é a minha Imortalidade.

A Terra é a minha Divindade.

 

Na Terra, eu cresço.

Com o Céu, eu me torno.

Em Deus, eu sou.

 

Sri Chinmoy, Eastern Light for the Western Mind, Agni Press, 1793

Páginas recomendadas

Livro dos Sonhos Está disponível mais uma tradução dos livros de Sri Chinmoy. O livro "Sonhos" é uma compilação de perguntas e respostas sobre o significado espirit...
Vídeos para Meditação por Patanga Recentemente tenho escolhido vídeos para mostrar nos cursos de meditação. Aproveito para compartilhá-los com vocês nesta página. Alguns...
Como Meditar no Coração My heart of love Is divinely beautiful. I love my beautiful heart. My heart of devotion Is eternally soulful. I love my soulful heart. My ...
O livro Yoga, meditação e a arte de viver: A Avent... Yoga, meditação e a arte de viver: A Aventura da Vida Clube de autores (34 reais) Hoje em dia é o livro que eu mais recomendo para quem está num...