Como meditar na foto de um Mestre espiritual

Simplesmente para sonhar
Com a Meta Final,
O buscador-Deus deve ser
Uma alma excepcionalmente corajosa.
-Sri Chinmoy

Quando eu comecei a meditar, eu fazia dois tipos de exercício de concentração. Um deles era de respiração e o outro era de concentração em diferentes partes do corpo.

foto mestre espiritual meditar como

Depois de alguns meses, eu ganhei uma foto de Sri Chinmoy, que ele dá aos seus alunos diretos. (Essa foto é sagrada – ela não está disponível na internet e nem a venda). A partir de então, todos os dias eu fiz o mesmo exercício – meditar nessa foto –, sem nunca sentir necessidade de mudar de exercício. E vejam que já faz 16 anos que a recebi!

Desde a invenção da fotografia, o ato de meditar na estátua de um Mestre espiritual teve uma transformação. A fotografia, normalmente preta e branca, consegue representar uma parcela da consciência de realização do Mestre.

Por isso, é bastante comum em caminhos espirituais dedicados que os alunos usem essa ferramenta para alcançar a sua própria consciência mais elevada – através do auxílio do Mestre.

 

Pergunta: Como devemos meditar na foto de um Mestre espiritual?

Sri Chinmoy: Quando meditamos diante da foto de um Mestre espiritual, devemos sempre tentar nos identificar com a consciência do Mestre espiritual, que está personificada na foto. Se quisermos nos identificar com a sua consciência, a primeira coisa a ser feita é nos concentrar na foto toda. Gradualmente, traremos o foco da atenção apenas para a face, e depois para a região entre as sobrancelhas e um pouco acima, que é onde a sua verdadeira riqueza interior, espiritual, pode ser encontrada. Esse é o terceiro olho, a sede da visão. Assim que conseguimos nos identificar com a visão da realidade interior, alcançaremos o maior sucesso.
Se quiser obter pureza ao olhar para a foto, antes de começar a sua meditação, imagine que está respirando junto com o Mestre por cinco minutos. Você deve sentir que ele também está respirando – o Mestre e o discípulo devem respirar juntos por cinco minutos.

Sri Chinmoy, Meditation: God speaks and I listen, part 2, Agni Press, 1974

 

Veja também:

Recomenda-se usar aplicativos / apps de celular para meditação, ou não?

por Patanga Cordeiro

app de celular para meditacao

Insight Timer, Sattva, Headspace, Zen, Lojong, Calm, Stop Breath & Think, Aura, 5 minutos, Omvana, Medite.se, Medita!, Smiling Mind e outros…muitos outros….

Nos últimos anos, chegou uma avalanche de aplicativos de celular para ensinar técnicas e, principalmente, com meditações guiadas. Podemos recomendar o uso para quem quer aprender a meditar?

Vejamos primeiro a nossa capacidade de julgar se algo é adequado ou não. E, será que não varia com o tipo de pessoa? Será que não varia com o propósito da pessoa? Agora, “meditar” por si só não seria propósito, pelo menos para os fins do texto de hoje. A pergunta é: qual é o propósito da sua meditação? Acho que esse é um bom ponto de partida.

Se o propósito é relaxar, diminuir o estresse, etc, acho que você nem precisa chegar a meditar. Nessa caso, basta alongar, fazer um relaxamento do corpo e mente (que é o que define alguns exercícios de meditação guiada), uma imaginação de algo belo. Provavelmente, é isso o que você vai encontrar nos apps de meditação do mercado. (Associar a meditação com um resultado de bem estar e relaxamento ou como tratamento de saúde é um conceito novíssimo, que eu arriscaria dizer que começou por volta de 1960.) A vantagem é que você não precisa fazer um esforço muito grande. Basta se conter no escopo do exercício gravado ali, e deixar que ele se responsabilize pelo seu resultado. Ao mesmo tempo, essa vantagem é a sua desvantagem, conforme o parágrafo a seguir.

Se o seu propósito é auto-descoberta, que é o propósito ancestral da meditação (desde antes de 10.000 a.C. até hoje), você vai precisar de muitas coisas. Para a sua meditação acontecer, você vai precisar de muita garra, força de vontade; disposição para deixar para trás coisas na sua vida que atrapalham o seu progresso; companhia espiritual adequada; regularidade diária inabalável, um Mestre espiritual realizado e, sem dúvida, da Compaixão de Deus. O resultado disso tudo junto? Prefiro deixar que o leitor imagine. A minha própria imaginação não consegue ilustrar satisfatoriamente a combinação dessas forças na vida de um buscador espiritual.

No fim de tudo, vai de você, do seu hoje, de onde se encontra e do que está procurando. Se você achar que usar um app de celular para meditação vai lhe satisfazer, então use. Ou talvez o use como um algo a mais em meio às suas diversas práticas interiores. De qualquer forma, não poderia recomendar os apps bem comerciais. Se o propósito principal do aplicativo é ganhar dinheiro, o propósito de meditar vai ficar com menos espaço lá. Escolha um cujo propósito seja servir – talvez gratuito e sem nenhuma propaganda – e quem sabe aumentam as suas chances de encontrar um conteúdo mais sincero.

Mas, se sentir que a sua meta ainda está longe, sugiro deixar de trocar a responsabilidade pelo seu foco de um aparelho eletrônico para a sua força de vontade, os seus livros, o seu Mestre, o seu Deus e tomar a estrada mais veloz que encontrar para chegar lá – se Deus quiser – ainda nesta vida.

Enfim, não pude responder à pergunta inicial do texto, mas quem sabe fizemos progresso e demos o próximo passo em direção à resposta que procurávamos. Eu também me descubro um pouco mais ao escrever para vocês.

Aforismos de “meditação” diários

Link para página do aplicativo de meditações diárias – não são meditações no sentido contemplativo, mas sim aforismos diários para inspirar o nosso dia. Esse eu posso recomendar!

E, melhor ainda do que um aplicativo…. livros!

Meditação e silêncio – silenciando a mente

Só Deus sabe

Converse com os outros.
Você aprenderá.
Converse consigo.
Você aprenderá mais.
Pare de falar,
Permaneça em silêncio.
Deus falará e Deus aprenderá
Por você.
Você aprenderá tudo
Que só Deus sabe.
-Sri Chinmoy

Silêncio ou bons pensamentos? Qual é melhor?

Pergunta: Deve-se rejeitar todos os pensamentos durante a meditação?
Sri Chinmoy: É preciso saber se é o caso de um bom ou mau pensamento, um pensamento divino ou não divino. Se for um pensamento sobre Deus, um pensamento sobre Alegria Divina, Amor Divino, Beleza, Pureza, permita que esse pensamento entre em você e que aja, que se expanda. Se for um pensamento sobre Graça, Divindade, Eternidade ou Imortalidade, procure sentir para onde o pensamento vai; siga-o como um cão fiel.
Imagine que você esteja dentro da sua casa, próximo à porta. Você é quem decide abrir a porta, a sua porta mental, e permitir que apenas os pensamentos divinos que o incentivarão, inspirarão, que erguerão a sua consciência. Eles são seus amigos. Se vir que seus amigos estão do lado de fora, esperando para entrar, imediatamente abrirá a porta. Contudo, se perceber que os seus inimigos estão lá – o medo, dúvida, inveja, ansiedade, preocupações -, você não os deixará entrar.
Quando tiver força interior suficiente, no momento que um pensamento não divino aparecer na sua mente, você não o rejeitará. Você o transformará. (… )
No entanto, quando se é um iniciante, não se deve permitir que qualquer pensamento adentre a sua mente. Ele gostaria que seus amigos entrassem, mas não sabe dizer quem são os seus amigos. E, mesmo que saiba quem são seus amigos, na hora que abrir a porta para eles, poderá descobrir os seus inimigos bem diante de dos amigos e, antes que os amigos possam entrar na sala, os seus inimigos já estarão bem dentro de casa. Uma vez que os inimigos entrem, é muito difícil afugentá-los. Para isso, é preciso da força da disciplina espiritual sólida. Por quinze minutos a pessoa pode acalentar aspiração divina, pensamentos espirituais e, depois, num segundo, um pensamento não divino entra e a sua meditação é arruinada. Portanto, o melhor é não permitir quaisquer pensamentos durante a meditação.

Silêncio exterior ou mental e meditação – a concentração

por Patanga Cordeiro

A nossa mente fica bastante agitada quando recebe estímulos constantes.
Por exemplo, como você se sente ao o computador ou telefone, ou no escritório quando todos estão falando, atendendo o telefone, etc, ou no barulho do trânsito?
Como você se sente nas montanhas? Como se sente nos domingos ao caminhar na rua? Ao tocar um instrumento musical com toda a sua atenção?
Podemos trazer esse silêncio exterior para dentro através da prática constante de meditação. A concentração é o primeiro passo na meditação, e envolve silenciar a mente na medida do possível. Tente ter apenas um pensamento ou um foco. Isso é concentração. Algumas pessoas se sentem em paz após fazer algo que exige uma intensa concentração. Eu sou uma delas. Desde tocar um instrumento musical difícil, escrever um artigo ou mesmo assistir um desenho animado numa língua estrangeira que esteja aprendendo, tudo isso me traz mais para dentro. Treina a minha mente para fazer uma coisa apenas. Concentrar.
No silêncio da concentração, a meditação acontece mais facilmente. E repetimos parte do poema que abriu este artigo:

“Pare de falar,
Permaneça em silêncio.
Deus falará e Deus aprenderá
Por você.
Você aprenderá tudo
Que só Deus sabe.”

Uma vez que esteja imbuído dessa sabedoria divina, ela lhe mostrará a melhor forma de lidar com a falta de silêncio exterior que presenciamos em diversos momentos do dia. Basta ficar atento e atendê-la. Mais importante ainda, ela mostrará como trazer à tona o seu silêncio interior, que frutifica em paz, beleza e satisfação.

Zazen – Zazengi – postura para meditação – orientações do mestre Dogen

vulcao meditar sbc

Zazen – Zazengi – postura para meditação – orientações do mestre Dogen

Abaixo segue uma tradução de vários trechos ensinamentos do mestre Dogen a respeito dos abcs da meditação. Em geral, principalmente na parte da postura, é muito similar aos ensinamentos de Sri Chinmoy e que repassamos nos cursos de meditação, e achei de valia compartilhar com vocês aqui.

 

Um modelo para a prática da meditação

Treinar com um Mestre é praticar meditação sentado. Ao sentar-se para meditar, será ideal um local tranquilo. Coloque a sua esteira de meditação de forma que fique espessa. … Faça que o lugar em que sentar-se firme o seu corpo. O lugar onde você senta deve sempre estar iluminado, seja no escuro, durante o dia ou a noite. “Quente no inverso e fresco no verão” deve ser a sua técnica.

Deixe tudo para trás e permita que essas coisas descansem. Não pense sobre o que é bom ou ruim. Não exercite a sua mente e suas discriminações, nem pesa ou julgue as lembranças, conceitos e reflexões da mente!…

Beba e coma em moderação. Desfrute da luz dos dias e da escuridão das noites. Encare a meditação como se estivesse apagando um incêndio na sua cabeça. …

Coloque sua almofada redonda sobre o tapete. Não se sente de pernas cruzadas (em lótus) sobre a almofada com as pernas inteiras. Coloque a almofada bem para trás da metade das pernas. Assim, o tapete estará debaixo dos seus joelhos e coxas, enquanto que a almofada estará debaixo da sua coluna. ….

Sente-se com o corpo ereto, sem inclinar para a direita, esquerda, para frente ou para trás. Alinhe suas orelhas com os ombros e o nariz com o umbigo. Sua língua descansa na sua boca. Respire pelo nariz. Seus lábios e dentes devem estar se tocando. Seus olhos se mantém abertos, mas nem pouco e nem muito abertos.

Com o corpo e mente assim regulados, expire uma vez. Sente-se com a tranquilidade de uma montanha e faça que aquilo em que estiver pensando seja baseado em não tentar pensar sobre qualquer coisa. Como pode alguém estar pensando em não pensar especificamente em algo? É simples. Não deixe que “estou pensando em…” seja o foco da sua meditação. Essa é a técnica para meditação. Meditar é uma prática e não um estudo intelectual. É o portal do Dharma para a alegria e paz. É o treinamento puro para realizar a verdade.