Como não cair no sono na meditação

Como não cair no sono

trecho do livro O Mundo Interior e o Mundo Exterior

 

Pergunta: O que posso fazer se tenho a tendência de cair no sono durante a meditação e outras atividades espirituais?

Sri Chinmoy: É uma questão de dar importância às coisas que vêm em primeiro lugar na sua vida. Digamos que algo importante está acontecendo e você está caindo no sono. Você trabalhou duro para mim por oito ou nove horas antes daquilo e, portanto, sente que é bastante natural que você caia no sono. O nosso poder de justificativa não tem fim. Mas você ganha algo ao se justificar? Digamos que eu ofereça uma meditação muito elevada, muito importante, e você dorme o tempo todo em que ela aconteça. Você pensará: “Ele sabe que trabalhei para ele”, o que é verdade. Você pode justificar ter dormido. Mas a pergunta seguinte é: você perdeu algo por ter dormido durante a meditação? Você perdeu algo e não será capaz de obter essa coisa com a sua justificativa.

Então você tem de se perguntar: “O Guru exteriorizou a permissão para eu perder essa atividade porque eu trabalhei?” Na gráfica, quando eles trabalham durante a noite toda, às vezes eu lhes digo que não precisam vir para a meditação. Quando digo isso, eu tomo completa responsabilidade e certamente lhes darei os frutos da meditação que teriam se comparecessem. Se você não tiver a minha permissão, obterá os frutos da sua dedicada ação prévia. Mas, pela meditação que você perder, não receberá nada. Pelo seu sono não serei responsável, porque eu não me comprometi. Você pode dizer que está cansado; eu direi que está letárgico. Aqui está a prova: leva só um segundo para você me perguntar se deveria faltar à meditação. Eu me comprometerei e o problema estará resolvido.

Há várias formas de se manter acordado quando estiver com sono. Faça japa tão rápido quanto o puder. Lave os olhos, nariz e orelhas com água fria. Belisque-se várias e várias vezes. Fique de pé e com os olhos abertos. Um pouco de desconforto físico não é nada se comparado com o que obterá em retorno: Paz, Deleite e Luz. O problema está na sua sinceridade. Se você é sincero, valorizará tudo de acordo.

Algumas pessoas meditam por meia hora e sentem que então podem relaxar – assistir televisão, ler histórias em quadrinhos, etc. Eles meditaram por meia hora, mas não percebem que essa meia hora talvez os tenha levado apenas ao ponto de partida. Antes de ter a realização, deve-se ser muito, muito cuidadoso. Portanto, se trabalhou duríssimo e está incapaz de meditar com a sua intensidade normal, depois de meia hora de meditação você pode ler os meus escritos. Ou, se estiver em casa, poderá ouvir a minha música ou observar as minhas pinturas. O seu Guru tem uma quantidade razoável de coisas a oferecer. Eu escrevi poemas, compus canções – centenas de coisas eu fiz.

Pare de perder o seu tempo assistindo TV e lendo revistas. Você tem a maior velocidade ao meditar. Mas, quando se cansar, não pare de correr. Caso se sente, será desqualificado. Continue correndo, mesmo que tenha de ir lentamente. Relaxe um pouco na velocidade, mas continue a disciplinar a sua vida. Medite. Repita ‘Supreme’. Leia os meus escritos. Todos vocês deveriam fazer isso. Há tantas formas de manter a sua consciência elevada porque eu ofereço uma variedade de atividades espirituais para vocês. Se não gostar de uma, gostará de outra. Quando a meditação ficar difícil, leia. Se perder a sua concentração, cante. Quando estiver cansado de cantar, volte a meditar. Dessa forma você pode regular a sua vida. Corra o mais rápido quando tiver a capacidade. Quando não tiver a capacidade, caminhe. Mas, se parar de seguir em frente, nunca alcançará a Meta.

 


Relacionado

Dicas para se manter bem acordado durante a meditação

Adquirindo disciplina para meditar e hábitos que devemos deixar

Adquirindo disciplina para meditar e hábitos que devemos deixar para aprender a meditação

trecho do livro O Mundo Interior e o Mundo Exterior

livro meditacao

Ouvinte: Eu gostaria de saber quanta disciplina é exigida para se adquirir mestria na meditação.

Sri Chinmoy: Toda a disciplina que puder coletar de si. A disciplina é um processo contínuo. Fazemos progresso nesse processo. Mas depende de quão sinceramente o indivíduo aceita a vida espiritual. Se ele deseja se tornar perfeito, então deve disciplinar não apenas o seu corpo, vital e mente, mas a sua vida toda, completamente. Se quiser apenas um pouco de satisfação da vida, não precisará passar por essa autodisciplina completa. Depende de quanto o buscador precisa da sua vida interior.

 

Donna Halper: Como alguém disciplina a sua vida? O que é preciso fazer?

Sri Chinmoy: A pessoa deve ser cuidadosa de todas as maneiras, começando pela mente. Ela deve sentir que a sua mente é um quarto que possui algumas portas e janelas, portas e janelas que permitirão que o mundo todo entre. O buscador deve fechar as portas e janelas e ficar diante de uma das portas. Então deve permitir que apenas os pensamentos e ideias que o auxiliarão em sua vida espiritual entrem. Pureza, paz, harmonia e coisas do tipo – tais são os seus amigos. Ele permitirá que apenas esses amigos entrem no seu quarto-mente e conversará apenas com eles. É assim que praticamos.

 

Donna Halper: É preciso ir embora para algum lugar? A pessoa deve ir para um ashram ou sinagoga para ser bem-sucedido na meditação?

Sri Chinmoy: Não é preciso ir a qualquer lugar. A meditação depende completamente da sinceridade interior. Há muitas pessoas que estiveram em ashrams e mosteiros e não conseguiram superar os pensamentos ruins das suas mentes. Se permanecer num quarto fechado, isso não quer dizer que não terá pensamentos sobre o mundo do lado de fora. É recomendável que buscadores meditem em certos lugares e em certas horas, mas a meditação não requer uma vida de reclusão.

 

 

Ouvinte: Eu gostaria de perguntar se ele sente que uma pessoa deveria se abster de ter relações físicas e sexuais caso queira desenvolver a sua meditação. Em outras palavras, essas coisas atrasam o nosso desenvolvimento espiritual?

Donna Halper: Alguém que deseja desenvolver sua meditação deve abster-se do sexo?

Sri Chinmoy: Sim, é recomendável. É necessário abster-se de todos os movimentos vitais inferiores caso o buscador queira fazer o progresso mais rápido na meditação.

 

Donna Halper: Quais são algumas das outras coisas que devemos abandonar para fazer progresso na meditação?

Sri Chinmoy: A pessoa deve abandonar as drogas, o fumo e o álcool. Há diversas outras coisas que não são saudáveis do ponto de vista espiritual, mas essas são as mais danosas.

 

Donna Halper: Quando alguém faz isso, sua meditação melhora – estou certa?

Sri Chinmoy: A pessoa se torna um veículo muito mais receptivo para a luz.

 

Ouvinte: Se alguém fracassasse na autodisciplina para meditação e outros aspectos da vida, se alguém achasse realmente muito difícil deixar de fumar, beber ou a vida sexual e ainda quisesse meditar, a meditação seria um caso perdido para essa pessoa?

Sri Chinmoy: Não será um caso perdido se a pessoa for sincera. Se ela orar a Deus por Sua infinita Compaixão, Deus dará a ela a capacidade necessária para disciplinar sua vida. Basta a pessoa orar a Deus pela Compaixão infinita de Deus. A Luz-Compaixão de Deus será capaz de iluminá-la, e suas fraquezas e imperfeições não ficarão com a pessoa para sempre.

 

Donna Halper: É possível que uma pessoa não esteja pronta para meditar num dado momento, mas que depois fique pronta para meditar?

Sri Chinmoy: Sim, é possível. É como cozinhar. Não é todos os dias que preparamos a refeição mais deliciosa. Num dia, alguém faz algo delicioso; noutro dia, fracassa. Mas essa pessoa não desiste de cozinhar ou de comer apenas porque nem sempre é bem-sucedida.

 

Donna Halper: Portanto, o nosso ouvinte deve simplesmente continuar tentando, e, por fim…

Sri Chinmoy: Por fim ele se tornará perito. Aprender meditação é como aprender qualquer coisa. Não nos tornamos peritos da noite para o dia. Às vezes alguém consegue fazer algo bem, e às vezes ficará bem ruim. Mas, se continuar estudando, praticando, por fim se tornará perito.

 

Donna Halper: E, portanto, meditação é algo que se deve praticar?

Sri Chinmoy: Praticar é preciso em todos os âmbitos da vida.

 


 

Relacionado

Meditação para iniciantes

Como silenciar a mente na meditação? Mantra e japa

por Juliana Francisco

Para os iniciantes na prática da meditação o primeiro passo é silenciar a mente. Mas quem já tentou ficar sem pensar por alguns segundos sabe que pode ser um desafio. Fiz o curso de meditação com os ensinamentos de Sri Chinmoy em 2017 e quando comecei a tentar meditar achei que a meditação não fosse para mim. Não conseguia parar de pensar e tinha a impressão de que nunca conseguiria, levou alguns meses para começar a silenciar a mente. Mas, em contrapartida, mesmo não conseguindo meditar direito, percebia as mudanças no meu dia a dia, o que me fez seguir em frente até ser presenteada com outros resultados da meditação. Sri Chinmoy diz que “se você está meditando, você sentirá alegria interior espontânea”. Era assim que me sentia no início, mesmo não tendo cessado meus pensamentos ao tentar meditar, sentia alegria espontânea e percebi mudanças na forma de reagir as situações do dia a dia, percebi que estava me transformando rapidamente e que a meditação era o caminho para me conectar com a minha parte espiritual. No curso de meditação em SP aprendemos que o primeiro passo para a meditação é a concentração, nos concentramos em um ponto apenas, diminuímos o número de pensamentos a medida que vamos praticando o exercício de concentração e, assim, chegará o dia em que seremos presenteados com a sensação que a meditação proporciona, que é uma experiência pessoal e inexplicável. Uma das técnicas que aprendi no curso e que me ajudou muito a silenciar a mente e a me purificar foi a técnica do mantra japa. Ao praticá-la percebi que meus pensamentos diminuíam, o que me auxiliou no processo da busca pelo estado de meditação. No livro Meditação, Sri Chinmoy, fala em suas palavras sobre a técnica:

Entoando: o mantra e o japa

O mantra é um encantamento. Pode ser uma sílaba, uma palavra, algumas palavras ou uma sentença. Quando repetido várias vezes, é chamado de japa. Um mantra significa um aspecto particular de Deus, e cada mantra tem relevância e poder interior especiais.

Se não conseguir entrar na sua meditação mais profunda porque a sua mente está agitada, é uma oportunidade para utilizar um mantra. Você pode repetir “Supreme” ou Aumou “Deus” durante alguns minutos. E também, se for atacado no plano vital emocional e pensamentos ruins ou vibrações inadequadas estiverem entrando em você, poderá repetir Aum ou o nome do “Supreme” ou Aum ou o nome do Supremo.

Nesse caso, tente entoar o mais rápido possível. Enquanto estiver tentando purificar a mente das impurezas, deverá cantar como se estivesse correndo para pegar um trem em movimento. Durante o Japa comum, entretanto, apenas diga o mantra de maneira normal, mas com toda a alma. No entanto, não o prolongue muito, ou não terá tempo de cantá-lo as quinhentas ou seiscentas vezes que podem ser necessárias.

Atingindo a purificação total

Se você quiser atingir a purificação total em sua natureza, o japa pode ser bastante eficiente caso seja feito de maneira sistemática, passo a passo, No primeiro dia, repita Aum ou “Supremo” ou qualquer outro mantra dado pelo seu mestre por quinhentas vezes. No dia seguinte, repita-o por seiscentas vezes. No próximo por setecentas. E assim por diante, até atingir mil e duzentas vezes ao final da semana. Então, comece a diminuir o número de repetições a cada dia, até chegar a quinhentas novamente. Dessa maneira, você sobe e desce a árvore. Faça esse exercício semana após semana, durante um mês. Queira você mudar o seu nome ou não, o mundo te dará outro nome: pureza.

Enquanto estiver fazendo o japa, se cometer algum erro e perder a contagem, não se preocupe. Continue a partir de algum número provável. O motivo de contar é separar a nossa consciência das coisas exteriores. Ao contar, você não vai pensar em outra coisa. Enquanto estiver contando, procure entrar no mundo do silêncio que há nas profundezas do mantra. E então não será necessário contar. Sua consciência estará focalizada naquilo que estiver repetindo, e você começará a sentir que está meditando somente no significado interior do mantra.

Na maioria dos casos, é melhor entoar o mantra em voz alta. Porém, depois de cantá-lo assim por alguns minutos depois se puder sentir que há alguém dentro de si mesmo – o seu ser interior – que está repetindo o mantra por você, não precisará entoá-lo em voz alta. No silêncio do seu coração, o seu ser interior fará o japa por você.

O japa deve ser feito de manhã ou durante o dia, e não logo antes de dormir. Se for feito quando o corpo estiver cansado e quiser entrar no mundo do sono, a mente ficará agitada e perderá a sua concentração unidirecionada. Você estará usando a mente de maneira mecânica e não obterá nenhum benefício. Se o japa não for feito de modo sincero e com toda a alma, será inútil. Portanto, ele deve ser feito só cem, duzentas ou no máximo trezentas vezes antes de dormir. Ao meditar antes de dormir, você invocará paz, luz e bem-aventurança. Contudo, se fizer o japa quinhentas ou mil e duzentas vezes antes de dormir, invocará poder e energia e não conseguirá dormir.

Muitas vezes, ao completar o japa, você ouvirá o mantra sendo repetido dentro do seu coração. Sua boca não está dizendo nada, mas o seu interior começou a repetir o mantra de maneira espontânea.

 

Comecei a fazer o japa e sentia que conseguia ficar sem pensar por algum tempo após a realização da técnica, além disso pude perceber que fui me transformando ao fazer o ciclo de um mês. Quando começamos a tentar meditar, é importante tentar várias alternativas para silenciar a nossa mente, e ver qual é mais adequada a cada um, o japa me ajudou muito e no curso de meditação aqui em SP, encontrei outras técnicas que também me auxiliaram nesse processo. Essas são algumas informações para iniciantes e caso queira saber mais, acesse a nossa página que fala sobre o curso gratuito.

Como meditar na foto de um Mestre espiritual

Simplesmente para sonhar
Com a Meta Final,
O buscador-Deus deve ser
Uma alma excepcionalmente corajosa.
-Sri Chinmoy

Quando eu comecei a meditar, eu fazia dois tipos de exercício de concentração. Um deles era de respiração e o outro era de concentração em diferentes partes do corpo.

foto mestre espiritual meditar como

Depois de alguns meses, eu ganhei uma foto de Sri Chinmoy, que ele dá aos seus alunos diretos. (Essa foto é sagrada – ela não está disponível na internet e nem a venda). A partir de então, todos os dias eu fiz o mesmo exercício – meditar nessa foto –, sem nunca sentir necessidade de mudar de exercício. E vejam que já faz 16 anos que a recebi!

Desde a invenção da fotografia, o ato de meditar na estátua de um Mestre espiritual teve uma transformação. A fotografia, normalmente preta e branca, consegue representar uma parcela da consciência de realização do Mestre.

Por isso, é bastante comum em caminhos espirituais dedicados que os alunos usem essa ferramenta para alcançar a sua própria consciência mais elevada – através do auxílio do Mestre.

 

Pergunta: Como devemos meditar na foto de um Mestre espiritual?

Sri Chinmoy: Quando meditamos diante da foto de um Mestre espiritual, devemos sempre tentar nos identificar com a consciência do Mestre espiritual, que está personificada na foto. Se quisermos nos identificar com a sua consciência, a primeira coisa a ser feita é nos concentrar na foto toda. Gradualmente, traremos o foco da atenção apenas para a face, e depois para a região entre as sobrancelhas e um pouco acima, que é onde a sua verdadeira riqueza interior, espiritual, pode ser encontrada. Esse é o terceiro olho, a sede da visão. Assim que conseguimos nos identificar com a visão da realidade interior, alcançaremos o maior sucesso.
Se quiser obter pureza ao olhar para a foto, antes de começar a sua meditação, imagine que está respirando junto com o Mestre por cinco minutos. Você deve sentir que ele também está respirando – o Mestre e o discípulo devem respirar juntos por cinco minutos.

Sri Chinmoy, Meditation: God speaks and I listen, part 2, Agni Press, 1974

 

Veja também: