Como começar na jornada espiritual

Como começar na jornada espiritual

Trechos de uma palestra de Sri Chinmoy

As pessoas começam sua jornada espiritual com uma boa postura. Elas querem Deus, Verdade, Luz. Mas, depois de trilhar por dois, três ou seis meses, sentem que o caminho é árido. Percebem que não estão ficando famosos ou conhecidos ou que não estão operando milagres. Então desistem e seguem outro caminho, como o da kundalini. Esse caminho é bem fácil porque logo que obtém algo, você pode mostrar todos os seus poderes milagrosos ao mundo e sentir que é alguém importante. Mas esse poder nunca lhe trará sequer uma gota de paz de espírito. Primeiro de tudo, você será mal compreendido por muitos, porque o uso de poderes ocultos não eleva de forma alguma a consciência de ninguém. Como um mágico, você mostra algo que cria excitação que dura alguns minutos ou uma hora. Então você e aqueles que ficaram animados sentem-se miseráveis, porque sabem que isso não durará para sempre, que há realidades mais elevadas e verdades mais elevadas. Vocês dizem então: “Viemos ao mundo buscando paz, amor, alegria, felicidade, satisfação. Onde está a satisfação que desejamos?” E então entram para a vida espiritual de verdade, onde kundalini não é necessário. O que é necessário é apenas um anseio interior pela Verdade, Luz e Deleite. Uma vez que obtiver Verdade, Luz e Deleite, não se interessará pelo poder kundalini. É como uma criança que tem cinco centavos. Ela sabe que poderá distribuir os cinco centavos entre cinco crianças da sua idade. Mas, quando descobre que seu pai tem milhares de dólares, ela não se interessará mais pelos cinco centavos. Os milhares de dólares aqui representam o poder espiritual verdadeiro.

Se quiser se satisfazer com um pouco de poder kundalini, medite por algumas horas por dia, por seis ou sete anos, o que não é nada. Já realizar Deus leva diversas encarnações, a não ser que tenha um bom Mestre espiritual. …

Emoção: nossa inimiga ou amiga?

Emoção: nossa inimiga ou amiga?

O que é a emoção, como transformá-la, como saber se é algo elevado ou algo superficial, o choro interior e o choro exterior.

 

Sri Chinmoy ofereceu a seguinte palestra da série Dag Hammarskjold nas Nações Unidas, aqui resumida.

 

A emoção é nossa amiga e inimiga. Há muitos planos de consciência, mas costumamos lidar com dois planos: o físico e o espiritual. No plano físico, a emoção começa doce, mais doce, dulcíssima. Então chega a hora em que essa emoção é seguida pela frustração, e a frustração é seguida pela destruição. Por que é assim? Isso acontece precisamente porque a emoção em jogo no físico é ainda obscura, não iluminada e impura. No plano físico, a emoção nada é além de autoexposição, consciente ou inconsciente, sob compulsão ou espontânea.

Há um tipo de emoção no plano espiritual, no coração, ou existência psíquica. Essa emoção é sempre Auto-iluminadora e Deus-preenchedora. No mundo espiritual, no mundo interior, a emoção é verdade-expansão, divindade-expansão e perfeição-manifestação. Naturalmente, podemos incluir também “Deus-satisfação”, pois a Deus-satisfação só cresce na verdade-expansão, divindade-expansão e perfeição-manifestação.

No plano humano há diversas forças não divinas que nos atacam e forçam a nos render ou utilizar a raiva, ansiedade, preocupações, apego, pena de si e auto-imolação.

O que é a raiva? Ela é uma força que não nos permite estarmos conscientes da nossa realidade-unicidade com os demais, que são nossa realidade estendida, expandida. …

Como superamos a raiva? Um Mestre espiritual pode lhe sugerir manter a mente calma e silenciosa, e orar a Deus e meditar em Deus. Seremos capazes de nos libertar da selvagem raiva que há em nós. O conselho do Mestre espiritual está absolutamente certo. Mas, se quiser superar a raiva na hora, a forma mais fácil e efetiva é repetir o Nome de Deus tão rápido quanto o possível a cada inspiração de ar que tomamos…

Como conquistamos serenidade? Como alcançamos equanimidade? Conseguimos equanimidade mental quando não vivemos na mente, mas em outro lugar. Que lugar é esse? É o coração. … E o que é serenidade? É um tipo de emoção divina. Não é excitação. Obtemos essa serenidade quando nos identificamos com o Infinito, o Eterno, o Imortal.

O medo é outro tipo de emoção que cumpre seu papel ao nos separar da nossa vasta realidade-unicidade. A dúvida é quase igual. …

O apego é uma forma de emoção. Assim como o apego é uma forma de emoção, também o desapego é uma forma de emoção. Quando há apego, vemos um cabo-de-guerra entre dois exércitos. Ele nos prende para nos gratificar. O apego nos faz sentir que nenhum indivíduo é completo…

O desapego também é uma forma de emoção… O desapego não é indiferença. Ele é a nossa verdadeira existência, que vive em nossa realidade verdadeira – seja a realidade-Céu ou a realidade-Terra. Desapego é emoção, mas ele não é afetado pelos acontecimentos, incidentes e experiências da realidade que enxerga; está sempre um centímetro acima em consciência. …

Sinceridade e insinceridade também são emoções. Com sinceridade voamos, voamos no vasto e ilimitado céu. Com a insinceridade entramos numa pequena caverna para escapar. Com a sinceridade tentamos espalhar nossas asas e dar ao mundo o que temos e o que somos. Com a insinceridade escondemos nosso mundo-realidade, que consideramos apenas nosso.

Puereza e impureza. Pureza é a nossa Auto-expansão, e impureza é a nossa Auto-imolação. Com cada alento-pureza que respiramos, aumentamos a nossa realidade-Deus. E, com cada alento-impureza que respiramos, rendemos nossa existência às mandíbulas da morte.

Pureza e sinceridade são dois atributos divinos que devem ser aplicados por todos os buscadores no dia a dia. A emoção deve ser disciplinada sinceramente na mente central. Quando a mente se torna sincera ela se abre conscientemente, devotadamente e com toda alma à Vastidão. …

A pureza é do coração e está no coração, mas ela vive para a alma. A alma é a representante consciente de Deus dentro de nós. O coração de pureza é o coração que descobre Deus conscientemente. O coração de pureza é consciente Deus-revelação e Deus-manifestação.

Por fim, todas as nossas emoções dão lugar a lágrimas, sejam lágrimas terrenas ou lágrimas divinas. As lágrimas terrenas são o resultado do fracasso, frustração e falta de satisfação. As lágrimas divinas são as lágrimas de gratidão oferecidas à Fonte, ao Amado Supremo, o Piloto Interior, o Amigo Eterno….

 

 

Como aprender mais sobre os sonhos

textos de Sri Chinmoy, volume XII

Sonhos

Sri Chinmoy

 

Como podemos ter sonhos espirituais?

Se quiser ter sonhos doces, sonhos inspiradores, você deverá meditar com toda alma de manhã cedo – às três, quatro ou mesmo cinco horas. Se você costuma acordar as cinco, levante-se às quatro horas. Tome uma ducha adequada e medite por pelo menos meia hora. Após a meditação, sente-se ou deite-se e se concentre no seu umbigo. Não pense em sonhos. Tente sentir que o seu chakra umbilical está se abrindo. Imagine que uma roda está girando bem rápido lá. Porque você meditou por meia hora, não precisará se preocupar com o fato de estar entrando nesse chakra, mesmo se tratando do chakra vital. Volte a dormir por meia hora ou quarenta minutos. Se a sua meditação foi boa e genuína, se veio das profundezas do seu coração, quaisquer sonhos que tenha depois dela serão divinos, dinâmicos, belos, coloridos e repletos de alma. Serão sonhos sobre anjos e deuses, ou sobre a sua vida espiritual. Ou então você verá algumas coisas inspiradoras, encorajadoras. …

Se você quer ter sonhos dos mundos superiores e não dos mundos inferiores, antes de dormir medite por pelo menos cinco minutos no centro umbilical e nos centros abaixo do umbigo. Você fará isso para trancar as portas que levam a esses centros. E medite por cinco minutos no seu centro cardíaco e nos centros acima do coração. Você fará isso para destrancar as portas que levam a esses centros. Enquanto tranca as portas do centro umbilical e dos centros inferiores, tente sentir a energia dinâmica e vulcânica de um herói-guerreiro. Enquanto destranca o centro do coração e os centros superiores, tente sentir a alegria e o deleite de uma criança. Se puder fazer isso, sem falha você terá sonhos dos mundos superiores.

Eu deveria orar para não ter sonhos ruins, ou seria melhor simplesmente deixar que os sonhos que vierem venham?

Primeiro medite no coração e sinta a verdadeira presença da luz. Então pegue essa luz e lance-a no escuro abismo do umbigo para sua purificação. Você não terá sonhos ruins porque o seu vital estará purificado.

Por que é que eu tenho uma meditação maravilhosa e durante a noite tenho sonhos vitais impuros?

Quando você tem sonhos vitais, isso quer dizer que o seu vital deve ser purificado. Se deixar o seu quarto bagunçado, você não pode esperar entrar no quarto e de repente encontrar tudo espontaneamente limpo. Você tem de entrar no quarto e tentar limpar a bagunça, colocando algo de lado e jogando fora outras coisas.

Durante a sua meditação, você está recebendo luz. Quando essa luz entra no seu ser, ela pode mostrar que o seu vital necessita de purificação.

Se você entrar num quarto escuro sem uma luz, não enxergará nada e talvez ache que está tudo certo. Mas uma vez que ligar a luz, verá que nada está certo, que todos os tipos de forças destrutivas estão no quarto. Isso é bom, porque então você estará em posição para transformar essas forças. Quando obtém paz, luz e deleite da sua meditação, você tem a possibilidade de entrar no seu vital e purificá-lo. Quando tiver uma meditação poderosa, tente trazer a luz da sua meditação para o vital. Os sonhos serão purificados pelo poder da sua meditação.

Como podemos obter mais controle sobre a pureza no estado de sonho?

…  Se você puder meditar em pureza com toda a alma e se puder ser perfeito na sua vida interior durante o dia, eu lhe asseguro que também será perfeito mesmo enquanto dorme profundamente. Uma vez que tenha pureza nos sonhos, ficará muito satisfeito, pois sonho representa realidade, e realidade representa sonho. O que você sonha é realidade em algum outro mundo, num mundo superior ou num mundo inferior. Se puder ter certa mestria sobre a impureza no mundo físico, eu lhe asseguro que no mundo dos sonhos também você terá mestria sobre a sua impureza.

Pergunta: Como posso continuar a minha aspiração durante o sono?

Sri Chinmoy: Antes de dormir, medite com toda alma e sinta que essa meditação é como seu guia consciente, que o levará até a sua meta. Você segue o guia. Ele o carregará durante o sono e o colocará no seio do acordar.

Qual é a diferença entre sonhos humanos e o Sonho de Deus?  

Há uma grande diferença entre os sonhos humanos e o Sonho divino de Deus. Os sonhos humanos são apenas fantasias mentais. Na maior parte do tempo, são apenas pensamentos fortes, ideias ou invenções. Por vezes nos tornamos vítimas de forças hostis que nos fazem sonhar todo tipo de coisas horríveis. Ou criamos as nossas próprias fantasias, que podem aparecer como sonhos durante a noite. O Sonho de Deus é o Sonho divino que é precursor da Realidade. …

Qual é a melhor forma de sabermos o significado dos nossos sonhos?

É muito difícil dar o valor certo aos sonhos. Assim como há sete mundos superiores e sete mundos inferiores, também há muitos mundos dos sonhos. Se alguém tem um sonho num mundo particular, o seu significado será um e, se o tiver num mundo de sonhos mais elevado, o significado será totalmente diferente. Cada plano deve ser conhecido e compreendido corretamente. Cada plano oferece a verdade de uma maneira particular.

Muitos livros foram escritos sobre sonhos. Cada um tem a sua maneira própria de explicar os sonhos. Se você ler livros sobre a interpretação dos sonhos, cada livro mostrará um significado diferente para um mesmo evento similar. Não é possível existir uma explicação padrão dos sonhos porque se deve conhecer de que plano o sonho está vindo. …

Eu senti que estava subindo uma colina muito íngreme com uma grama verde e bela. Estava ficando muito íngreme, e eu fiquei com medo, mas continuei subindo com a ajuda de uma pessoa não identificada. Quando eu estava prestes a chegar ao topo, fui distraído por algumas monjas oferecendo flores.

Eu gostaria de dizer que o caminho espiritual é muito árduo e muito íngreme. Quando você tem de subir, é muito difícil. Os seres que você viu não eram monjas; eram anjos. Mas você sentiu no sonho que eram monjas porque a sua mente física estava operando. A sua mente física não queria que você visse anjos, porque não queria que você sentisse tanta alegria. A mente é assim. Ela destrói tudo. Com o seu coração, você foi muito alto, mas a sua mente quis diminuir a sua alegria e fez com que você os visse como monjas. Se a mente não tivesse interferido, você teria ficado muito feliz em ver anjos com flores.

Durante várias manhãs eu ouvi um pássaro cantando uma bela música durante o meu sono, como uma flauta. Mas, quando eu acordo, não consigo me lembrar da música.

 Esse pássaro é a sua alma, e a música está vindo da sua alma. Quando você está dormindo, a sua consciência possui um livre acesso à sua alma. Mas quando acorda e volta à vida comum, não consegue manter esse livro acesso, pois a sua consciência física não está em contato com a sua alma. Se tiver uma meditação bem poderosa antes de ir para a cama, será capaz de manter a consciência da alma na manhã seguinte. Durante a sua meditação, tente sentir que você não é o corpo, mas sim a alma, e, ao mesmo tempo, que você existe para a alma. Então facilmente conseguirá se lembrar da música do seu pássaro-alma.

 

Textos compilados de Meditação Brasil – Sonhos Espirituais

Meditando com o coração, meditando na alma

Coração e alma

Se você meditar no coração, meditará onde está a alma. É verdade que a luz e a consciência dela permeiam o corpo todo, mas existe um lugar onde a alma mora a maior parte do tempo: o coração. Se você quiser iluminação, precisa consegui-la por meio da alma, que está dentro do coração. Quando sabe o que quer e onde conseguir, o mais sensato é ir até o lugar certo. Senão, será como ir até a loja de ferragens para comprar legumes.

Há uma grande diferença entre o que pode ser obtido com a mente e o que pode ser obtido através do coração. A mente é limitada. O coração é ilimitado. Nas suas profundezas, você é paz, luz e bem-aventurança infinitas. Conseguir uma quantidade pequena é uma tarefa fácil. Meditar na mente pode lhe proporcionar isso. No entanto, você poderá conseguir infinitamente mais se meditar no coração. Digamos que você tem a oportunidade de trabalhar em dois lugares. Num deles, o salário é de duzentos dólares. No outro, quinhentos. Se for sábio, não desperdiçará o seu tempo no primeiro lugar.

Enquanto tiver uma tremenda fé na mente, que complica e confunde tudo, é certo que ficará decepcionado com a sua meditação. As pessoas comuns pensam que complicação é sabedoria. Mas as pessoas espirituais sabem que Deus é muito simples. É na simplicidade, e não na complexidade, que habita a verdadeira realidade.

Não estou dizendo que a mente é sempre má. Nem sempre é isso. Mas ela é limitada. No máximo, o que você pode conseguir dela é inspiração, que também é limitada. Para uma aspiração verdadeira, você precisa ir até o coração. A aspiração vem do coração porque a iluminação da alma está sempre lá presente. Ao meditar nele, você não só consegue a aspiração, mas também alcança o a satisfação dessa aspiração: a paz, a luz e a bem-aventurança infinitas da alma.

 

A meditação no coração

É melhor meditar no coração do que na mente. A mente é como a Times Square, em Nova Iorque, na véspera do Ano Novo. O coração é como uma caverna solitária no Himalaia. Se você meditar na mente, talvez seja capaz de meditar por cinco minutos. Desses cinco minutos, talvez durante um só medite poderosamente. Depois, você vai sentir que a sua cabeça inteira está ficando tensa. Primeiro, você obtém alegria e satisfação. Em seguida, poderá sentir um deserto árido. Entretanto, se você meditar no coração, vai adquirir a capacidade de se identificar com a alegria e a satisfação que está recebendo. Assim ela será permanentemente sua.

Se você meditar na mente, não vai se identificar. Você procurará entrar em alguma coisa. Se quiser entrar na casa de alguém para pegar o que ele tem, você precisará quebrar a porta ou implorar para que o dono da casa a abra. Implorando, você se sentirá como um estranho, e o proprietário também achará a mesma coisa. Então, ele pensará: “Por que eu deveria deixar que um estranho entre na minha casa?” No entanto, se você usar o coração, imediatamente as qualidades de suavidade, doçura, amor e pureza virão à tona. Quando o dono da casa perceber que você é todo coração, imediatamente o próprio coração dele se tornará um com o seu, e ele o deixará entrar. Ele vai sentir a sua unicidade e dirá: “O que você quer da minha casa? Se precisa de paz, pode pegá-la. Se precisa de luz, pode pegá-la também”.

Mais uma coisa: se entrar na casa com a sua mente, verá alguns frutos deliciosos e no mesmo instante tentará pegá-los. Você ficará satisfeito ao consegui-los, mesmo que não seja capaz de comer tudo. Mas, se usar o coração, verá que o seu grau de receptividade é ilimitado. Usando a mente, você tentará selecionar. Você dirá: “Este fruto é melhor. Este outro é pior”. Todavia, se entrar na casa com o seu coração, sentirá que tudo ali é seu e aproveitará tudo. O centro do coração é o centro de unicidade. Primeiro, você se identifica com a verdade. Depois, através da sua identificação, transforma-se na verdade.

 

Deus e a meditação

Deus e a meditação

textos de Sri Chinmoy

O que é meditação?

Sri Chinmoy: Meditação é a percepção consciente de Deus. Somos todos buscadores. Quando somos buscadores, nosso dever é sermos conscientes de Deus vinte e quatro horas por dia. Se acreditamos em Deus, naturalmente sentiremos que ele existe. Mas esse sentimento não é espontâneo; ele não dura vinte e quatro horas por dia. Quando meditamos, chega a hora em que sentimos e percebemos vinte e quatro horas por dia que somos de Deus e existimos por Deus. A percepção constante e consciente de Deus – Sua Verdade, Luz e Deleite – é chamada de meditação.

O que é Deus? Onde Ele está?

Sri Chinmoy: Deus está em todo lugar. Mas se não O vermos ou sentimos dentro dos nossos corações, não seremos capazes de vê-Lo em qualquer lugar. Primeiro devemos vê-Lo dentro de nós e falar com Ele dentro dos nossos corações. É quando fizermos isso que seremos capazes de ver Deus em todo lugar também. Se não temos Deus em nosso coração, não seremos capazes de falar com Deus ou nos relacionar com Ele.

Quem é Deus? Deus é sem forma e com forma. Ele é energia pura e, ao mesmo tempo, Ele é a mais luminosa forma. Ele é energia sem começo e energia sem fim. Ele é também a forma mais luminosa. Deus é água e gelo. Algumas pessoas gostam de água, e outras, de gelo. Às vezes as pessoas querem beber água, e às vezes querem gelo.

Depende do buscador e do que ele procura. Ele pode querer ver Deus de forma humano – mas absolutamente divino, supremo, perfeito. Ele sente que se houver uma forma será mais fácil reconhecer Deus ou realizar Deus. E então prefere ver o Deus personificado. Mas se alguém quer ir além do Deus pessoal, além da forma, além da dualidade e ficar sempre na Paz, Luz e Deleite infinitos, isso também pode acontecer. Além disso, o mesmo buscador pode de manhã buscar pelo Deus com formas e atributos e, de noite, ansiar pelo Deus como uma energia sem forma, ilimitada.

A meditação é para todos, independentemente se uma pessoa está buscando Deus conscientemente?

Sri Chinmoy: Sim, a meditação é para todos, quer a pessoa esteja buscando Deus conscientemente ou não. O que se deve saber é o quão longe deseja ir. Alguém pode estudar no jardim de infância. Alguém pode ir para o ensino médio, universidade, mestrado ou doutorado. Mas esse é o conhecimento exterior. A meditação nos dá sabedoria interior.

Você pode estar satisfeito com uma gota de sabedoria interior. Mas você pode perceber que só ficará satisfeito com Paz, Luz e Deleite ilimitados. Depende de onde o buscador quer chegar. Assim como vamos para a escola para obter conhecimento exterior, devemos meditar para termos sabedoria interior. Se o buscador quer ficar satisfeito com apenas uma fração de Paz, Luz e Deleite, ele a terá. Se ele quiser ilimitadas Paz, Luz e Deleite, ele também as terá, contanto que continue a meditar regularmente, devotadamente, com alma, sem reservas e incondicionalmente.